Mitos do trânsito

Mitos do trânsito

Quando o assunto é trânsito é preciso ter em mente as leis, normas e deliberações de órgãos como o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) e o Conselho Nacional de Trânsito (Contran). Porém, boa parte das regras é totalmente desconhecida pelos motoristas. Talvez a falta de informação explique como surgem os mitos que envolvem o universo do trânsito.

Dirigir descalço, sem camisa, fumar no interior do carro, andar com o carro em “ponto morto”, dirigir com o braço de fora, tudo isso pode ou não ser feito durante a condução de um veículo segundo os órgãos competentes?

O que diz a lei

De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), o condutor pode dirigir sem camisa e descalço. Ambas as situações são autorizadas e não infringem a lei do CTB. Na verdade, não há nenhuma referência proibitiva no CTB em relação à condução de um veículo sem camisa, assim como o uso de sunga, biquíni ou qualquer outra roupa leve.

Muitos motoristas não sabem, mas andar com o veículo desligado ou desengrenado, em declive, é falta média, gera perda de quatro pontos na carteira de habilitação e multa de R$ 85,13, conforme o artigo 231, do Código de Trânsito Brasileiro (confira a lista completa das infrações no final da matéria).

Outro mito que ronda o imaginário popular é que grávida não pode dirigir. De acordo com o CTB não há nenhum tipo de restrição. Essa decisão é pessoal, pois muitas mulheres não se sentem seguras. Vale lembrar que no último trimestre da gestação os bebês se mexem mais podendo tirar a atenção da motorista. Ter cautela é uma boa pedida.

E dirigir descalço, é permitido? Qualquer condutor pode dirigir sem calçados. A regra vale tanto para a direção no espaço urbano como em estradas. O CTB não faz nenhuma menção explícita sobre esse assunto. O que pode gerar alguma confusão é o fato de que no artigo 252, IV é dito que dirigir o veículo usando calçado que não se firme nos pés ou que comprometa a utilização dos pedais é uma infração considera média. A multa é R$ 85,31 reais e o condutor ainda perde quatro pontos na carteira. Chinelo de dedo, sandália alta ou qualquer outro calçado que não tenha tiras presas atrás dos calcanhares é considero sapato não firme.

Fumar dirigindo é infração média

O artigo 252, do CTB, ao ser lido atenciosamente, esclarece outras questões como o ato de fumar dirigindo e, ainda, de conduzir o veículo com o braço para fora. Parar fumar dentro do veículo é preciso pará-lo em local seguro, pois dirigir sem uma das mãos é considerado infração. Da mesma forma é proibido dirigir com o braço de fora. Ambas as ações são infrações médias, passíveis de multa. Segundo o CTB, infração média provoca perda de quatro pontos na carteira e, ainda, há penalidade de multa no valor R$ 85,31.

Quem carrega animais precisa ter atenção. O código não proíbe levar animais de estimação dentro do veículo, mas dirigir com o bicho no colo é proibido. Outra informação do artigo 235 diz respeito à condução de pessoas, animais ou cargas nas partes externas do veículo – salvo nos casos devidamente autorizados – é considerado infração grave tendo como penalidade multa de R$ 127,69, perda de cinco pontos na carteira e, ainda, retenção do veículo para transbordo como medida administrativa.

Conduzir qualquer tipo de máquina requer atenção e informação. Portanto, conhecer o Código de Trânsito Brasileiro é uma boa maneira de se educar, além de evitar acidentes e favorecer a qualidade de vida no tráfego.

Confira a tabela abaixo e fique por dentro da lei

Descrição

Infração

Pontos

Multa

Trafegar com o veículo desligado Média 4 R$ 85,31
Dirigir com sapatos não firmes Média 4 R$ 85,31
Fumar ao conduzir o veículo Média 4 R$ 85,31
Dirigir com o braço fora do carro Média 4 R$ 85,31
Dirigir com animais no colo Grave 5 R$ 127,69
Condução de pessoas, animais ou cargas nas partes externas do veículo Grave 5 R$ 127,69

  

Bradesco Seguros

A vida é um grande espetáculo e para protagoniza-lo com dignidade precisamos nos sentir protegidos. E esta proteção começa individualmente, passando pela nossa própria vida, nossa saúde, nosso futuro, nossa família e nosso patrimônio para que possamos viver intensamente cada ciclo da vida. Por isso, a proteção passa a ser a grande necessidade das pessoas neste século, marcado por acontecimentos imprevisíveis.  E proteger as pessoas e seus patrimônios é justamente a missão da maior seguradora do Brasil: a Bradesco Seguros.

Fundada há 78 anos, e atenta a diversas necessidades, atua nos ramos de Automóveis, Ramos Elementares, Seguro Saúde, Capitalização, Seguros de Vida e Previdência Complementar.

Ao longo de sua história a Bradesco Seguros, vem trilhando uma trajetória marcada por um sólido crescimento e pleno sucesso. Com uma ampla estrutura de proteção em todo o território nacional, oferece a seus quase 42 milhões de clientes uma moderna estrutura de atendimento por meio de suas Centrais de Atendimento Telefônico, Internet, 374 dependências próprias e 42 mil corretores ativos, além de contar com a rede de mais de 4,6 mil agências do Banco Bradesco.

A Bradesco Seguros também foi pioneira em seu segmento na implantação de uma Ouvidoria de Clientes. Um canal de comunicação, com o objetivo de solucionar eventuais problemas de atendimento. Uma estrutura que funciona dentro dos mais rigorosos padrões de qualidade.

Diferenciais que consolidam cada vez mais a marca do Grupo Bradesco de Seguros no mercado brasileiro.

Uma marca construída a partir do resultado de suas quatro seguradoras

Mitos do trânsito
Rolar para o topo
error: Content is protected !!