Saúde e automóveis garantem crescimento às seguradoras

Saúde e automóveis garantem crescimento às seguradoras

As seguradoras brasileiras que publicaram seus balanços do primeiro semestre – Bradesco Seguros, SulAmérica e Porto Seguro – confirmaram as expectativas do mercado de crescimento sustentável do setor, com evolução das receitas nos ramos de saúde, automóveis e capitalização, e desaceleração em seguro de vida e previdência privada. “A previdência já se recuperou; e nos seguros de vida, a expectativa do setor é de recuperação no segundo semestre, mesmo a desaceleração do crédito de automóveis, que afetou o seguro prestamista. O potencial em previdência é muito bom, mas ainda é um produto recentes para o brasileiro”, argumentou o diretor de relações com investidores (RI) da Porto Seguro, Marcelo Picanço.

Na Bradesco Seguros, que possui 25% de participação no mercado (market share), o faturamento com prêmios (receitas) evoluiu 22,2% no segundo trimestre de 2014 para R$ 13,992 bilhões, na comparação com o trimestre anterior. No primeiro semestre de 2014, a receita aumentou 5,2% para R$ 25,442 bilhões. Mas na distribuição por ramos, a performance muda. Em doze meses, o área de vida e previdência recuou 7,1% na Bradesco Seguros, enquanto os prêmios com saúde subiram 21,1%, o ramo de automóveis avançou 31,5%, e a área de capitalização, aumento de 18,5% no período.

Já a Porto Seguro registrou receitas 17% maiores no primeiro semestre para o montante de R$ 7,3 bilhões, enquanto o lucro líquido semestral aumentou 23,3% para R$ 371,6 milhões. “Tivemos um resultado importante mesmo com a economia andando de lado”, justificou Picanço. Ainda no segmento, a SulAmérica apresentou um crescimento de 23% nas receitas do primeiro semestre de 2014 para R$ 8,2 bilhões. No desempenho do segundo trimestre por ramos, a área da saúde e da odontologia evoluiu 14,4% em doze meses, enquanto os prêmios com automóveis cresceram 13%, e capitalização em volume ainda pequeno saltou 82,3%. Já os seguros de vida e acidentais pessoais recuaram 7,6% no período, e previdência teve leve alta de 0,1% no período.

Fonte: Segs